Brasil vive momento importante em TI

O segmento de software e serviços em Tecnologia da Informação (TI) cresceu aproximadamente 30% esse ano, um desempenho inferior ao do ano passado, mas muito atrativo para pequenos e médios empresários do setor.

Ao buscarmos informações no Google relacionadas a TI, encontramos diversos sistemas, e softwares especializados e direcionados para diferentes segmentos de mercado, com o propósito de facilitar o cotidiano de empresas que adotam a utilização de um sistema integrado. Cada vez mais empresas de TI surgem procurando colocação no mercado de tecnologia, em busca de novos clientes e oportunidades de se inserir no mercado.

“O Brasil ainda tem os melhores números da informática”, comentou Vincenzo Di Giorgio, que lidera no país a empresa argentina Dinatech. “Este é um dos motivos que a gente decidiu investir aqui. Há um potencial enorme de crescimento, uma demanda enorme de software, e nem é por causa apenas dos grandes eventos, que representam uma pequena parte desse crescimento”, completa Vincenzo.

O Brasil apresenta um cenário econômico mais lucrativo que nos Estados Unidos e Europa, que ainda apresentam sinais da crise. Sediada em Buenos Aires, a Dinatech se instalou no Rio de Janeiro no início de 2013 trazendo tecnologia voltada para serviços de localização e integração de sistemas, como GPS, por exemplo.

O grupo Dinatech obteve em 2013 uma média de faturamento que gira em torno de US$ 300 milhões por ano. “Vemos um crescimento muito forte de pequenas e médias empresas. É mais difícil para as ‘gigantes’ venderem diretamente, sobretudo com a necessidade de customizar as soluções, o que exige presença local”, relata Vincenzo.

Por outro lado, o sócio proprietário da Druid, Rafael Estima, reforça o cenário favorável para o segmento “estamos vindo de dois anos muito bons, um boom para nós em telecomunicações e no setor bancário. Embora pequenos, temos 55 pessoas entre Rio e São Paulo, estamos faturando mais de R$ 11 milhões.”

Criada há 15 anos, a Druid apresenta soluções em integração de sistemas complexos, com destaque para bancos e empresas de telefonia. “Há pouquíssimas empresas nesse campo em telecom que conhecem os protocolos do setor, o que nos destacou até para fazermos uma parceria com a Oracle”, conta Rafael. A Druid trabalha com desenvolvimento próprio de sistemas integrados e também desenvolve aplicativos móveis, por exemplo – o ‘ingresso.com’, adequado para aparelhos Android e iPhones. Também desenvolveu um sistema para a companhia de telefonia Vivo que, por meio dos aparelhos dos funcionários, a empresa monitora a qualidade da rede que está sendo fornecida pela operadora.

Rafael Estima pontua que “o mercado de software é descolado do geral da economia. E outras portas vão se abrindo, como cloud computing e big data, que já terão muita demanda para 2014”.

Claudio Nasajon comemora o sucesso da sua empresa, a Nasajon Sistemas, no mercado desde 1982, que conta com 200 funcionários e obteve em 2013 R$ 26 milhões de faturamento. “Foi muito além do que a gente imaginava em função dos resultados da nação. Ano passado, crescemos cerca de 30%, um avanço muito focado em pequenas e médias empresas”, diz Claudio. Ele acredita que 90% do mercado de TI vai se direcionar para o mercado de aplicativos móveis – telefones e tablets; para tecnologias de social business.

É importante olhar para o departamento de Tecnologia da Informação como o coração centralizador das informações e dos dados que serão fundamentais para alcançar melhores índices de vendas. Com esse suporte oferecido pelas tecnologias de TI as empresas conseguem otimizar seus processos e direcionar as forças das campanhas de marketing de maneira assertiva para conquistar novos mercados e fidelizar clientes antigos. Valorize sua equipe! Dê valor aos profissionais que você tem na sua empresa e promova o despertar de suas habilidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima